Pesquisar no site

Hospital Sepaco faz alerta no Dia Mundial da Incontinência Urinária

março de 2014

No Dia Mundial de Incontinência Urinária, 14 de março, o Hospital Sepaco faz um alerta sobre a importância de procurar ajuda médica aos primeiros sintomas da perda do controle da bexiga, pois é um problema que atinge aproximadamente 50 milhões de pessoas no mundo, causando incômodo, contrangimento e até afastamento do convívio social.

Segundo o dr. Carlos Del Roy, coordenador da área de ginecologia do Hospital Sepaco, no Brasil, cerca de 10 milhões sofrem com o problema. Ele explica que todas as pessoas, desde bebê, aprendem a segurar a micção, tornando o processo automático, mas a perda desse controle pode acarretar no problema de incontinência urinária.

A disfunção é caracterizada pela perda involuntária de urina, aliada a incapacidade de controlar o momento e o local de esvaziar a bexiga. Normalmente, há uma maior incidência em mulheres na faixa dos 50 anos (12%) e na faixa dos 80 anos (25%), porém, o público masculino também sofre com o problema, que pode ter uma relação mais direta à idade ou cirurgias da próstata.

O médico ressalta que, em bebês e crianças até os 6 anos, essa incontinência é comum, pois como ainda não aprenderam a controlar a necessidade de ir ao banheiro, acidentes ocasionais podem ocorrer com certa frequência. “Os pais precisam estar alerta e acompanhar seus filhos para que não se torne um problema crônico ou algo mais sério”, comenta o dr. Del Roy.

As causas são diversas. Podem estar relacionadas à gravidez, parto, tumores, doenças que comprimem a bexiga ou pulmonares que geram pressão abdominal, obesidade, tosse crônica no caso de fumantes, obstrução do canal da uretra, genética, entre outras.

O importante é estar sempre alerta e procurar auxílio médico quando algum sintoma surgir, pois apenas o profissional qualificado poderá identificar a causa e o tipo de perda urinária para tratála com eficácia. “A boa notícia é que na maioria das vezes, o problema pode ser solucionado por meio de diferentes tratamentos que vão desde exercícios para fortalecer a musculatura do assoalho pélvico, medicamentos até cirurgia”, reforça o dr. Del Roy.

Saiba mais sobre os três tipos distintos de incontinência urinária:

Incontinência de urgência

É caracterizada por um desejo incontrolável de urinar, acarretando a perda da urina antes da chegada ao banheiro. “Embora, em algumas mulheres, esteja relacionada a uma infecção urinária, na maioria dos casos, não é possível definir uma causa específica”, explica o doutor.

Fístulas

A perda de pequena quantidade de urina quando a bexiga está cheia representa as fístulas e, normalmente, é resultado da incapacidade de esvaziar completamente a bexiga. Desta maneira, a urina continua acumulando até que ocorre um transbordamento.

Incontinência de esforço

Ocorre quando um esforço – tosse, espirro, segurar muito peso, dar risada – provoca o aumento da pressão no interior do abdômen sobre a bexiga. “Se os músculos e ligamentos que dão suporte para a uretra estiverem enfraquecidos, ela se abrirá e haverá perda de urina”, destaca o doutor.

Postado em Notícias, Sem categoria por Comunicação Hospital Sepaco | Tags: , ,