Pesquisar no site

Tag: Bronquiolite

Maio de 2018

Qual é a causa da bronquiolite (BQL)?

A BQL é uma infecção viral bastante comum entre as crianças, provocando o inchaço e o acúmulo de muco nos bronquíolos, pequenas passagens de ar presentes nos pulmões. Normalmente se inicia com sintomas que se assemelham a um resfriado como tosse, coriza, obstrução nasal, irritabilidade, redução da aceitação das mamadas, podendo haver febre (viremia em via aérea superior), evoluindo para desconforto respiratório (“período de piora”) 3 a 5 dias depois (viremia em aérea inferior).

“Cerca de 80% dos casos são causados pelo Vírus Sincicial Respiratório (VSR), mas outros vírus também podem causar a doença como rhinovirus, influenza, parainfluenza, adenovírus, metapneumovírus”, afirma a Dra. Talita Gongora Lodi Rizzini, pediatra e coordenadora do Serviço de Pediatria do Hospital Sepaco.

Quais são os cuidados fundamentais no tratamento?

Os cuidados irão depender da gravidade. Nem todos os casos de BQL necessitam de internação e apenas cerca de 15% deles necessitam de internação. Apenas pacientes com demanda por oferta de oxigênio, desconforto respiratório significativo, queda do estado geral e incapacidade de aceitarem líquidos adequadamente e grupos de risco como lactentes jovens < 2 – 3 m, cardiopatas, portadores de imunodeficiências, doenças pulmonares crônicas / broncodisplasia) devem ser hospitalizados. Nos casos mais leves, o tratamento é a hidratação e a limpeza das vias aéreas.

Por que o número de casos aumenta quando o tempo fica mais frio?

A principal época de sazonalidade na região sudeste do Brasil é o durante o outono e o início do inverno, ou seja, entre março e julho. A incidência começa a aumentar nesta época porque ocorre a diminuição da umidade relativa do ar.

“As partículas ficam em suspensão, os lugares permanecem mais fechados e isso favorece a contaminação ambiental. Além disso, as quedas bruscas de temperatura, em um mesmo dia contribui para o aumento dos quadros, tanto inflamatórios/infecciosos quanto alérgicos”, afirma a Dra. Talita.

O que acontece caso a criança não receba os cuidados adequados?

Geralmente a bronquiolite não apresenta complicações graves, porém algumas pesquisas defendem que bebês infectados pelo vírus causadores da bronquiolite tem maiores chances de desenvolver asma futuramente.

“Se não tratados adequadamente, casos graves de bronquiolite contribuem para o desenvolvimento de pneumonia, que deve, então, ser tratada separadamente. Além disso, a bronquiolite pode levar a criança à insuficiência respiratória, na qual só conseguirá respirar com ajuda de aparelhos”, finaliza a especialista.

Fonte: Dra. Talita Gongora Lodi Rizzini – Coordenadora da Pediatria
CRM: 122.213

Postado em Notícias por Comunicação Hospital Sepaco | Tags:
julho de 2016

A Dra. Talita Rizzini, pediatra do Hospital Sepaco, participou do Jornal Fala Brasil, transmitido pela TV Record, para falar sobre bronquiolite, doença rara e muito comum no inverno, que atinge principalmente bebês e crianças.

A especialista explicou quais são os principais sintomas, entre eles, febre, tosse seca e nariz escorrendo, e também deu dicas de como prevenir, com especial atenção ao aparecimento de sinais da doença, buscando a ajuda de um médico o mais rápido possível.

Postado em Sem categoria, Sepaco na Imprensa por Comunicação Hospital Sepaco | Tags: ,