Faça sua busca
Pesquisar no site

Limpeza da casa e saúde

Os fatores relacionados ao ambiente onde vivemos e saúde tem bastante destaque nas conversas do dia a dia, mas a poeira doméstica é o maior destaque e, por isso, está sendo bastante estudada nos últimos anos. No passado pouco se sabia sobre ela e, por mais que conheçamos cada vez mais coisas, ainda há muito o que se descobrir. Nos dias de hoje sabemos muitas coisas que já podem nos servir como conhecimento para cuidarmos de nossa saúde.
Hoje, sabemos que a poeira doméstica é composta basicamente de restos orgânicos de pele humana (originada da descamação habitual do nosso corpo), como também de restos animais: não só dos animais que adotamos para nosso convívio (“pets”), como de animais indesejados como baratas, mosquitos, insetos de maneira geral e ratos, por exemplo. Além desses componentes, devemos considerar as partículas que compõe as fezes destes seres vivos.
Na poeira também encontramos restos alimentares, resíduos de plantas, bactérias, fungos e ácaros, que são seres microscópicos extremamente alergênicos ao homem. Se nessa casa ainda houver fumaça, seja ela oriunda da poluição de veículos automotivos, cigarro ou mesmo da lenha da lareira, tornamos a poeira ainda mais rica em substâncias tóxicas que podem afetar a saúde do ser humano.
Todas essas partículas podem ser gatilhos ou causas para doenças. As mais evidentes e conhecidas são as doenças respiratórias como asma, rinite e bronquite que geralmente estão relacionadas aos fungos, ácaros e células mortas presentes na poeira. Os elementos gerados na queima de combustível, da lenha ou dos cigarros (cigarro eletrônico, narguilé, charuto, cachimbo e outras drogas inalantes) também são considerados importantes desencadeadores dos problemas respiratórios e também de processos dermatológicos de cunho alérgico, como as urticárias.
As descamações dos animais e do homem, bem como componentes de suas fezes são importantes veículos de bactérias, ovos de parasitas e até mesmo vírus. Virus de diferentes espécies podem existir vivos por minutos ou dias nas superfícies onde foram depositados. Assim, o mínimo contato com a poeira doméstica pode ser catastrófico. E é, acompanhada do mofo, um dos dois maiores vilões a serem combatidos dentro de casa.
Dicas para uma limpeza eficaz
Para que a limpeza tenha efeito, a poeira deve ser removida, e não espalhada. O uso de espanador e de alguns aspiradores sem filtro podem apenas mudar o lugar da poeira, pois ela é sugada e devolvida pelo próprio motor do aspirador sem filtro. Para resolver esse problema, basta usar pano úmido e depois outro seco em seguida – para evitar umidade desnecessária – ou melhor ainda, aspiradores com filtros potentes ou que tenham o sistema de jogar a poeira dentro de um dispositivo com água.
Para eliminar o mofo, deve-se antes removê-lo com uma solução de água sanitária e água (para preparar 1L dessa solução, coloque 910mL de água e 90mL de água sanitária). Caso prefira ou se a superfície a ser limpada possa ser prejudicada pela água sanitária, você pode utilizar uma mistura de vinagre com bicarbonato de sódio (coloque 1 frasco de vinagre de álcool num frasco borrifador e coloque 1 colher de bicarbonato de sódio). Essa mistura pode produzir efervescência, tenha cuidado. Seja qual for a mistura escolhida, use luvas e escova para trabalhar.
Se a área comprometida pelo fungo for grande, é interessante usar máscara também. Umedeça a área acometida com a mistura, espere 30 minutos, e remova o fungo com a ajuda de uma escova (uma escova de dente usada pode ser uma grande aliada nesse tipo de limpeza). Depois, limpe com um pano. Para evitar o reaparecimento, lembre-se que é importante manter o ambiente seco e ventilado. O mercado oferece produtos desumidificadores elétricos ou não, mas alternativas caseiras – como saquinhos de tule recheados de giz – também são bastante divulgadas pela internet.
A poeira sempre fica depositada em cortinas, tapetes e bichos de pelúcia. Para evitar o acúmulo, remova-a semanalmente ou no máximo a cada 2 semanas e considere uma importante mudança de hábito: evite caminhar pela casa com os sapatos usados ao longo do dia pois eles carregam muitos outros tipos de sujeiras que podem comprometer sua saúde. Assim, sempre deixe perto da porta de entrada um chinelo.
Outro ponto importante a se considerar é que muitos dos produtos de limpeza têm cheiros fortes ou componente irritativos que podem comprometer a saúde. Lembre-se: água, sabão, álcool, vinagre, bicarbonato de sódio, um pouco de água sanitária e panos secos são suficientes para melhorar a saúde da casa e de seus moradores.
Texto: Dra Regina L B Matielo – Infectologista Infantil do SCIH do Hospital Sepaco
Postado em Notícias