Find a Doctor

Notícias

O Hospital e Maternidade Sepaco está credenciado para os programas de residência médica em:
• Ginecologia e Obstetrícia;
• Medicina Intensiva;
• Medicina Intensiva Pediátrica.

Vagas disponíveis na seleção pública da SUS-SES-SP.

Para mais informações:
Email: iep@sepaco.org.br
Telefone: (11) 2182-4604

Postado em Sem categoria

Voltou a circular em vários estados brasileiros, inclusive na capital paulista, casos confirmados da doença que já chamam atenção dos órgãos de saúde.


Fique em alerta e entenda um pouco mais sobre a doença!


Você sabe o que é a meningite?

A meningite é uma inflamação das meninges, que são as três membranas que envolvem o cérebro e protegem o encéfalo, a medula espinhal e demais partes do sistema nervoso central. É causada, principalmente, por bactérias, vírus, fungos (bacilo de Koch, causador da tuberculose), ou outros agentes etiológicos.
Em princípio, pessoas de qualquer idade podem contrair meningite, mas as crianças menores de 5 anos são mais atingidas.


Forma de Transmissão:
• Na meningite bacteriana algumas bactérias se espalham de uma pessoa para outra por meio das vias respiratórias, por gotículas e secreções do nariz e da garganta; outras bactérias podem se espalhar por meio dos alimentos.

• Na meningite viral, a transmissão depende do tipo de vírus, podendo ocorrer contaminação fecal-oral, por contato próximo (tocar ou apertar as mãos) com uma pessoa infectada; tocar em objetos ou superfícies que contenham o vírus e depois tocar nos olhos, nariz ou boca antes de lavar as mãos; trocar fraldas de uma pessoa infectada; beber água ou comer alimentos crus que contenham o vírus.

• Alguns vírus (arbovírus) são transmitidos pela picada de mosquitos contaminados.


Fique atento aos seguintes sintomas:
As meningites provocadas por vírus costumam ser mais leves e os sintomas se parecem com os das gripes e resfriados. Meningites bacterianas são mais graves e em pouco tempo os sintomas aparecem, tais como:

  • Febre;
  • Rigidez na nuca;
  • Dor de cabeça;
  • Mal estar;
  • Náusea e vômito;
  • Confusão mental;
  • Sensibilidade à luz;
  • Dor intensa nos músculos, articulações, tórax e/ou abdome;
  • Manchas vermelhas na pele (similares a picadas);
  • Dispneia (respiração ofegante);
  • Calafrios.

    Nos bebês também pode-se observar:
  • Moleira tensa ou elevada;
  • Gemido quando tocado;
  • Inquietação com choro agudo;
  • Rigidez corporal com movimentos involuntários, ou corpo “mole”.

    Atenção:
    Na presença de um ou mais sintomas, procure uma avaliação médica imediata!

    Como se prevenir:
    As principais formas de prevenção são:
  • Diagnóstico precoce com a internação de pacientes com sintomas da doença;
  • Medidas de higienização, como: Higienização das mãos; Higienização do ambiente; Ventilação do ambiente; Cuidado com os alimentos.
  • Vacinação das pessoas em contato muito próximo com enfermos (especialmente dentro do mesmo domicílio); Além da imunização das pessoas com maior risco de adquirir a doença.

    Quem pode se vacinar?
    Quem não se vacina não coloca apenas a própria saúde em risco, mas também a de seus familiares e outras pessoas com quem tem contato, além de contribuir para aumentar a circulação de doenças.

    Tomar vacinas é a melhor maneira de se proteger de uma variedade de doenças graves e de suas complicações, que podem até levar à morte, como por exemplo, a meningite.

    O Ministério da Saúde tem um calendário de vacinação específico para recém-nascidos e crianças, bem como para pré-adolescentes e adolescentes, adultos, idosos; e ainda para gestantes.

    Veja abaixo o esquema vacinal da meningite:
  • Meningocócica C (Conjugada): protege contra a doença meningocócica causada pelo sorogrupo C.
    Esquema vacinal: 1ª dose aos 3 meses de idade; 2ª dose aos 5 meses de idade e reforço aos 12 meses de idade;
  • Meningocócica ACWY (Conjugada): protege contra a doença meningocócica causada pelos sorogrupos A, C, W e Y.
  • Esquema vacinal: uma dose em adolescentes de 11 e 12 de idade, a depender a situação vacinal.

    Ampliação temporária das vacinas
    O Programa Nacional de Imunizações (PNI) também está disponibilizando a vacina meningocócica C para crianças até 10 anos de idade não vacinados e para trabalhadores da saúde. Da mesma forma, a vacina meningocócica ACWY está sendo ofertada temporariamente para adolescentes não vacinados de 11 a 14 anos de idade.
    A vacina meningocócica ACWY (Conjugada) está disponível no Calendário Nacional de Vacinação para adolescentes de 11 e 12 anos, mas até junho de 2023 adolescentes de 13 e 14 anos de idade também poderão se vacinar.

    Diagnóstico:
    Se o médico suspeita de meningite, ele solicita a coleta de amostras de sangue e líquido cefalorraquidiano (líquor). O laboratório então testa as amostras para detectar o agente que está causando a infecção. A identificação específica do agente é importante para o médico saber exatamente como deve tratar a infecção.

    Tratamento:
    Devido à gravidade do quadro clínico, os casos suspeitos de meningite sempre são hospitalizados, por isso, ao se suspeitar de um caso, é urgente a procura por um pronto-socorro para avaliação médica.

    Para tratamento das meningites bacterianas, faz-se uso de antibioticoterapia em ambiente hospitalar, com drogas de escolha e dosagens terapêuticas prescritas pelos médicos assistentes do caso. Recomenda-se ainda o tratamento de suporte, como reposição de líquidos e cuidadosa assistência.

    Para as meningites virais, na maioria dos casos, não se faz tratamento com medicamentos antivirais. Em geral as pessoas são internadas e monitoradas quanto a sinais de maior gravidade, e se recuperam espontaneamente. Porém alguns vírus como herpesvírus pode vir a provocar meningite com necessidade de uso de antiviral específico. A devida conduta sempre é determinada pela equipe médica que acompanha o caso.

    Nas meningites fúngicas o tratamento é mais longo, com altas e prolongadas dosagens de medicação antifúngica, escolhida de acordo com o fungo identificado no organismo do paciente. A resposta ao tratamento também é dependente da imunidade da pessoa, e pacientes com história de HIV/AIDS, diabetes, câncer e outras doenças imunodepressoras são tratados com maior rigor e cuidado pela equipe médica.

    Nas meningites por parasitas, tanto o medicamento contra a infecção como as medicações para alívio dos sintomas são administrados por equipe médica em paciente internado. Nestes casos, os sintomas como dor de cabeça e febre são bem fortes, e assim a medicação de alívio dos sintomas se faz tão importante quanto o tratamento contra o parasita.
Postado em Notícias

Recentemente, após o início da primavera foi observado que os casos de doença respiratória, causado pelo vírus Influenza, vem aumentando em crianças.

Segundo dados da Fiocruz, os casos se concentram na população infantil, de crianças de 0 (zero) até 11 (onze) anos de idade. Isso se deve ao baixo índice de crianças vacinadas contra a gripe, mesmo com a prorrogação da campanha na cidade de São Paulo.

Dados do Ministério da Saúde indicam que apenas 67,6% das crianças entre 6 meses e 5 anos foram imunizadas contra influenza em 2022 — a meta é vacinar em torno de 95%.

Tipos de Influenza:
• Influenza A: são encontrados em várias espécies de animais, podendo infectar humanos e causar uma síndrome respiratória grave.
• Influenza B: infectam exclusivamente os seres humanos, causando a síndrome respiratória e uma possível pneumonia.
• Influenza Tipo C: infectam humanos e suínos, sendo detectado com muito menos frequência e geralmente causa infecções leves.
• Influenza Tipo D: os vírus influenza D são conhecidos por infectar porcos e bovinos; não foram observadas infecções humanas por este vírus.

O que é:
A gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório, provocado pelo vírus da influenza, com grande potencial de transmissão. Existem quatro tipos de vírus influenza/gripe: A, B, C e D. Sendo o vírus influenza A responsável pelas grandes epidemias.

Sintomas:
as manifestações clínicas da infecção pelo vírus influenza variam com a idade. Os sintomas clássicos de infecção não complicada pelo vírus influenza incluem início abrupto de febre, dor de cabeça, mialgia e mal-estar, acompanhados por manifestações de doenças do trato respiratório, como tosse, dor de garganta e rinite. As crianças pequenas podem não ser capazes de vocalizar seus sintomas. Crianças com influenza não complicada podem ter poucos achados de localização; febre e mal-estar podem ser as únicas manifestações reconhecidas.
Alguns casos podem evoluir com complicações, especialmente em indivíduos com doença crônica, idosos e crianças menores de 2 anos, gestantes, o que acarreta elevados níveis de morbimortalidade.
As complicações mais comuns são:
• Pneumonia bacteriana e por outros vírus;
• Sinusite;
• Otite;
• Desidratação;
• Piora das doenças crônicas;

Tratamento:
O início do tratamento deve ocorrer preferencialmente nas primeiras 48 horas após o início dos sintomas, para isso, procure a unidade de saúde mais próxima de você. Há medicamento antiviral específico, que necessita receita médica.

Como se prevenir:
A vacinação é a forma mais eficaz de prevenção contra a gripe e suas complicações. A vacina é segura e é considerada uma das medidas mais eficazes para evitar casos graves e óbitos por gripe.

Postado em Notícias

O setor de UTI Adulto do Hospital Sepaco conquistou duas certificações: Selo Top Performer e Selo de Gestão de Indicadores de Qualidade de Desempenho; cedidos pela Epimed Solutions e AMIB (Associação de Medicina Intensiva Brasileira).

O selo Top Performer é concedido às unidades de terapia intensiva de todo o país, que apresentam alta eficiência de acordo com a matriz de eficiência, gerada pelo sistema Epimed Monitor.

O Selo Gestão de Indicadores de Qualidade e Desempenho é conferido pela AMIB com apoio da Epimed Solutions, às UTI adulto e pediátricas que gerenciam seus indicadores de qualidade e desempenho em consonância com a Resolução da Diretoria Colegiada N o 7 da ANVISA (RDC-7) de 24 de Fevereiro de 2010.

Postado em Notícias

No último dia 24, foi realizada a cerimônia de formatura da primeira turma de médicos residentes do Programa de Residência Médica em Clínica Médica do Hospital Sepaco.

O projeto iniciado em 2020, quando a Superintendência da instituição por meio de seu Instituto de Ensino e Pesquisa, em conjunto com as equipes médicas, assumiram o compromisso de apoiar a especialização de profissionais que atuem com ética, profissionalismo e dentro das melhores evidências.

Desejamos muito sucesso às novas especialistas, certos de que realizarão um excelente trabalho em suas carreiras.

Confira as imagens:

Postado em Sem categoria

O que é?

A Monkeypox é transmitida por um vírus chamado monkeypox, que é transmitido aos seres humanos a partir de animais.

Como acontece a transmissão?

A transmissão entre humanos ocorre principalmente por meio de contato próximo/íntimo com lesões de pele de pessoas infectadas, como por exemplo pelo abraço, beijo, massagens, relações sexuais ou secreções respiratórias.

A transmissão também pode ocorrer por meio de secreções em objetos, tecidos (roupas, roupas de cama ou toalhas) e superfícies que foram utilizadas pelo doente.

Quais os sintomas?

• Vesículas e crostas doloridas;
• Febre;
• Calafrios;
• Dor de cabeça;
• Dor muscular;
• Cansaço excessivo;
• Dor nas costas;
• Ínguas.

Prevenção

Para prevenir a monkeypox é recomendado:

• Evitar o contato próximo com pessoas diagnosticadas com monkeypox;
• Evitar tocar nas lesões ou entrar em contato com a roupa e objetos de uso pessoal de pessoas que possuem sinais e sintomas de monkeypox;
• Desinfetar e lavar bem as mãos com água e sabão.

A monkeypox tem cura?

Sim, a maioria tem cura espontânea, com cicatrização das lesões em torno de 21 dias.
No entanto, há casos graves, alguns fatais, que necessitam de hospitalização.

Postado em Sem categoria

De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), 80% das crianças e adolescentes que são diagnosticados precocemente com a doença, possuem grandes chances de cura.
Os pais devem estar sempre atentos, e diante de qualquer anormalidade levar seus filhos ao pediatra para uma avaliação. Na maioria das vezes, os sintomas estão relacionados a doenças comuns na infância, mas isto não precisa ser motivo para descartar a visita ao médico.

Os tumores mais frequentes na infância e na adolescência são as leucemias (que afetam os glóbulos brancos), os que atingem o sistema nervoso central e os linfomas (sistema linfático).

Também acometem crianças e adolescentes o neuroblastoma (tumor de células do sistema nervoso periférico, frequentemente de localização abdominal), tumor de Wilms (tipo de tumor renal), retinoblastoma (afeta a retina, fundo do olho), tumor germinativo (das células que originam os ovários e os testículos), osteossarcoma (tumor ósseo) e sarcomas (tumores de partes moles).

O câncer infantojuvenil é constituído por tumores de células indiferenciadas, o que, geralmente, proporciona melhor resposta aos tratamentos atuais. É muito importante o acompanhamento pediátrico de rotina.

Fonte: INCA (Instituto Nacional de Câncer)

Postado em Sem categoria

O Sepaco foi classificado no ranking dos melhores hospitais do mundo segundo a revista americana Newsweek. O ranking foi realizado em conjunto com a Statista Inc, conceituada empresa de pesquisa, que considerou as recomendações de profissionais de saúde, pesquisas com pacientes e indicadores de desempenho na saúde para elaboração destes resultados.

Ao todo, foram avaliados 2.000 hospitais de 27 países, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e Canadá.

O ranking World’s Best Hospitals 2021​ e World´ s Best Hospitals 2022 destacou a Maternidade do Sepaco na categoria Top Especialista.

Além disso, a especialidade de Pediatria do Sepaco, foi destaque no ranking World’s Best Specialized Hospitals 2022, classificada entre os 150 melhores serviços de Pediatria do mundo.

A linha materno infantil do Sepaco tem se tornado, indiscutivelmente, uma referência de cuidado seguro e extremamente qualificado. Essa conquista é de todos e ratifica o reconhecimento de nossos diferenciais

Postado em Notícias | Tags: ,

Serviço é recomendado para administração de medicamentos, sem a necessidade de internação.

Postado em Notícias

Serviço é referência no atendimento às cardiopatias congênitas.

Postado em Notícias | Tags: